31.05.2024

O vídeo que está dando o que falar

Querido(a) cachaceiro(a) do meu coração,

Se você leu a última newsletter, sabe que depois da minha viagem a Portugal eu fui direto ao Brasil, onde participei de um projeto que considero um dos mais importantes desde que iniciei minha jornada como Frau Cachaça: a de ser uma das juradas do Guia do Mapa da Cachaça.

Não vou entrar em mais detalhes a respeito do projeto, pois isso foi assunto da semana passada. Porém, se você quiser reler a newsletter, basta você acessar ao seu email ou entrar no meu blog, neste link, onde todas as newsletters anteriores ainda estão disponíveis.

Acontece que essa degustação colocou o universo da cachaça em polvorosa e tem dado muito o que falar e eu me sinto na obrigação de me pronunciar sobre o assunto.

Afinal, esse não é o primeiro ranking que quer eleger as melhores cachaças do Brasil, e tem muita gente que fez cara feia pra isso. Se você não sabe do que estou falando, temos o Ranking da Cúpula da Cachaça que eu respeito – e aliás divulgo muito – que é feito há cada dois anos. E novamente, se você quiser saber mais sobre isso, volte nas newsletters anteriores pois lá eu já mencionei o ranking inúmeras vezes.

Durante a degustação um dos colegas fez um vídeo mostrando o método que estávamos utilizando e isso causou, como mencionei, muita polêmica. Portanto eu decidi, na Newsletter de hoje, publicar o link do vídeo para você. Clica aqui pra ver como foi!

A questão é: um método não anula o outro e na minha opinião, o Guia do Mapa da Cachaça é apenas mais uma ferramenta que servirá pra auxiliar os próprios produtores a aprimorar ainda mais o seu trabalho e até mesmo os consumidores finais na hora de tomar a decisão da compra da sua cachaça. É tudo em prol da cachaça, não é uma questão de egos. Eu, portanto, apoio ambas as iniciativas e se o Ranking da Cachaça um dia quiser me chamar pra fazer parte do mesmo, eu aceitarei com o maior prazer! (apesar de saber que tem gente que não quer me ver por lá de maneira alguma hahahahaha)

Até por quê, as pessoas que faziam parte do corpo de jurados eram super diferentes: tinha gente da cachaça, da cerveja, do café, do mel, da gastronomia, do vinho, etc… o que causou muita discussão entre a gente, mas também muito aprendizado. Cada degustação era uma aula!

Ao todo, cada um de nós experimentou aproximadamente 200 amostras de cachaças que foram enviadas para a degustação. O método foi bem internacional e procede com a maneira que aprendi e tenho trabalhado aqui na Europa, algo “standard”, o que é bom, pois facilita demais na hora de falarmos da cachaça em um âmbito mais internacional. É importante que um degustador saiba o que significa ter um corpo médio -/+, aromas, etc…

O que me chamou a atenção foi que, ao contrário das fichas quilométricas de papel, usamos um software desenvolvido apenas para as avaliações, o que nos ajudou a obter resultados em questões de minutos. Assim, podíamos avaliar se estávamos no mesmo patamar, quanto tempo levava para degustar uma amostra, médias.. agora, diz pra mim: o que isso tem de ruim?

No método em si, nada. Porém, nem tudo são rosas. Devemos olhar para esse tipo de coisa com atenção. Fui jurada de vinho algumas vezes e eu já compartilhei com você um episódio do meu Podcast que gostaria de compartilhar novamente: o lado B dos concursos internacionais que quase ninguém menciona.

A degustação do Mapa da Cachaça foi um concurso internacional? Não, a intenção era realmente ajudar a escolher as melhores cachaças do Brasil, fortalecer o mercado e publicar um livro com o projeto, enaltecendo assim a cachaça. Mas a reflexão vale a pena.

Aproveito deixar o link pra você escutar o episódio! Tendo dito isso, espero que tenho compartilhado minha opinião sem ferir ninguém.

E você agora tem duas newsletters, um vídeo e um episódio de Podcast pra ouvir e entender o que estou falando e formar a sua própria opinião.

Pegue sua cachaça preferida e vem comigo!

Ótimo fim de semana prolongado para todos nós,

Beijinhos etílicos da Frau Cachaça

24.05.2024

Projeto Guia Mapa da Cachaça

Querido cachaceiro (a) do meu coração,

Ah, finalmente eu posso contar pra você um segredo que tenho guardado a 7 chaves debaixo do meu peito.

Se você tem se perguntado por que eu vim direto de Lisboa pro Brasil ao invés de voltar pra casa, agora eu vou te contar. Fui convidada para participar de um projeto muito legal, o Guia Mapa da Cachaça. Este projeto reúne um time seleto de 10 profissionais altamente especializados em diferentes bebidas, que se reunirão de 23 a 25 de maio em São Paulo para uma iniciativa inovadora.

E adivinha quem foi convidada pra fazer parte desse grupo seleto de degustadores? Euzinha! 😃😃😃

Sobre o Projeto

O Mapa da Cachaça é uma iniciativa colaborativa que visa celebrar e documentar a rica diversidade da cachaça brasileira. Durante três dias intensos de trabalho e degustação, os especialistas irão avaliar e catalogar uma ampla variedade de cachaças, contribuindo para a criação de um guia definitivo sobre a bebida.

Parceria de Sucesso

Estamos orgulhosos de anunciar que o resultado deste esforço será publicado no Guia do Mapa da Cachaça, em parceria com o Senac São Paulo. Este livro, que será lançado no segundo semestre, promete ser uma referência essencial para os amantes da cachaça e profissionais da área.

Time de Especialistas

O time é composto por 10 profissionais renomados, cada um trazendo sua expertise única para o projeto. Entre esses especialistas, tenho a honra de participar como Sommelière e especialista em cachaça na Europa. A diversidade de nossas experiências garante uma abordagem abrangente e detalhada sobre a cachaça.

Cronograma do Projeto

Datas do Encontro: 23 a 25 de maio

Local: São Paulo

Publicação do Guia: Segundo semestre de 2024

Impacto e Benefícios

Este guia não apenas celebra a cachaça como patrimônio cultural do Brasil, mas também serve como um recurso educacional valioso para consumidores e profissionais em todo o mundo. Estamos comprometidos em promover a cachaça, aumentando sua visibilidade e reconhecimento global.

Como Você Pode Acompanhar

Fique de olho em nossas atualizações e anúncios:

Site do Mapa da Cachaça: www.mapadacachaca.com.br

Redes Sociais: @‌mapadacachaca

E é claro que eu vou contar tudinho aqui na Newsletter e nas minhas redes sociais também!

Juntos, estamos criando um legado duradouro para a cachaça brasileira. É a marvada conquistando cada vez mais seu lugar ao sol!

Beijos etílicos!

17.05.2024

Diário de Bordo da Frau Cachaça

Querido(a) cachaceiro(a) do meu coração,

De uma semana pra cá aconteceu muita coisa boa em nosso universo cachaceiro. Não sei se você pôde acompanhar, mas eu estive em Portugal por uma semana. Fui contratada pela Cachaça Matriarca para fazer duas MasterClasses com degustação, uma no Porto na Cachaçaria Ponto Bar e a outra em Lisboa, no Copa.

Ambos estabelecimentos de brasileiros que tem a mesma filosofia de vida que a minha, a de espalhar cachaça de alambique na Europa. Apesar da correria toda, foi um imenso prazer fazer parte dessa empreitada, que contou com a presença de alguns rostos já conhecidos e influentes no ramo em Portugal.

Logo após isso, visitei o Lisbon Bar Show durante dois dias e lá reencontrei muitos amigos e colegas do ramo. Retornar a Portugal é sempre um grande prazer e eu me senti, mais uma vez, bem acolhida. Para minha surpresa eu conhecia bastante gente e foi engraçado saber que mesmo não trabalhando em Portugal, que acabei me tornando uma figurinha marcada por lá. Me senti em casa.

Interessante foi acompanhar o trabalho do Mundo da Cachaça e também da Casa Cachaça, que levaram a bandeira brasileira com muito orgulho durante a feira. Caio Baller arrebentou com o Guest shift e, pelo que eu fiquei sabendo, eles deram um show durante a MasterClass – que eu perdi, po estava no trem, a caminho do Porto para Lisboa.

Por fim, minha estadia em Portugal se acabou após seis dias, para a felicidade dos meus pés e do meu fígado, que tiveram muito o que fazer ultimamente. Mas não retornei a Viena.

Sim, estou em Sorocaba, onde a saga continua. Estou fazendo parte de um projeto grande e maravilhoso relacionado a cachaça de alambique, porém ainda não tenho permissão para compartilhar com você, o que me deixa um pouco chateada. Mas tudo bem. Logo isso irá mudar, portanto, fique de olho nos meus conteúdos.

Para fechar esta newsletter semanal, gostaria de compartilhar a receita do coquetel que ofereci em Portugal ao fechar minhas MasterClasses. Batizei esse coquetel de Soraia, em homenagem a uma prima minha que faleceu este ano, mas que adorava uma festa. Durante minha última vinda ao Brasil estivemos juntas na virada no ano. Era época de jaca, e passamos aquelas festividades em família cercados de parentes, churrasco, cachaça e muita cerveja.

Mal sabíamos que um mês após as festividades, ela receberia a notícia que estava doente e não lhe restava muito tempo em vida. Mas como Soraia era muito festeira e alegre, ela merece ser celebrada assim, com um coquetel que irá estrear, aliás, em dois bares de Portugal, com minha assinatura.

E aqui vai a receita:

Soraia

60 ml de cachaça Jaqueira da Matriarca – infusionada em Nib de cacau meio amargo

15 ml de suco de limão siciliano

15ml de oleum saccharum de laranja quincã caseiro

Solução salina

Modo de preparo:

No mixing glas com gelo. Servir com gelão em tumbler de whisky

Decoração:

Gengibre desidratado no palito.

Caso você queira entender os pormenores do coquetel e como fazer a infusão ou o oleum saccharum, pode me enviar uma mensagem que terei prazer de explicar! A combinação da jaca com Nib de chocolate deixa o coquetel delicioso. O gengibre espetadinho no palitinho serve também para mexer o coquetel, o que adiciona uma terceira dimensão e mais textura ao coquetel. E assim era Soraia: doce, complexa e ardente.

Por enquanto, encerro aqui esse diário de Bordo. Mas fique de olho, porque semana que vem tem mais!

Beijos etílicos!

10.05.2024

Degustação de Cachaça Matriarca em Portugal

Cachaceira e cachaceiro do meu coração,

Neste exato momento eu estou no Lounge do Aeroporto de Viena. As malas acabaram de ser embarcadas, tem café na xícara e lá vamos nós para mais uma aventura.

O destino? Lisboa, depois Porto, depois Lisboa novamente. E depois disso, Brasil! Sim, vou para o Brasil mas será apenas um bate-volta – retorno a Viena em 14 dias. O motivo? A cachaça!

Mas antes de começar a dar spoiler aqui sobre a viagem do Brasil, vamos por ordem: Portugal.

É com grande prazer que gostaria de anunciar dois eventos que farei em parceria com a Cachaça Matriarca: uma degustação de cachaça em Lisboa e outra no Porto. Claro que não perderei a oportunidade de visitar o Lisbon Bar Show e rever alguns colegas de trabalho e amigos que vivem por ali.

Então, se você utiliza as redes sociais, fique de olho nos stories pois é lá que compartilharei todas as impressões da minha viagem. Nem preciso dizer que vai ter muita coisa pra contar na próxima semana.

Mas nem tudo são flores. Em meio a tanta coisa legal acontecendo, a vida real é muito mais que café chique no aeroporto. Vamos lá então:

Gostaria de comunicar que essa semana não teremos mais um episódio do quadro DezEnCana. Infelizmente o pai do nosso amigo Pedro faleceu e estamos dando uma pausa. Portanto, deixo registrado aqui minhas condolências ao meu amigo, pois uma perda dessas sempre é muito difícil. Em breve retornaremos.

E falando em notícias tristes, não posso deixar de comentar o desastre que está assolando o Rio Grande do Sul. Se você gosta de uns bons coquetéis e tem vontade de ajudar, eu gostaria de deixar uma inspiração pra você.

Porém, nem tudo está perdido e é nessas horas que vemos a nobreza por parte de muitas pessoas.

Não é de hoje que a comunidade de bartenders se mostra super prestativa. Eles lançaram um movimento que se chama Drink do Bem, onde bartenders fazem Guest shifts em bares conhecidos e doam a renda para as pessoas que estão precisando. Gostaria de deixar aqui o link do perfil no Instagram: @‌drinkdobem2024

Todos os direitos reservados © [2024] – [Letícia Nöbauer]

plugins premium WordPress